Terça, 09 de Março de 2021 06:32
(35) 988158840
Saúde PRIORIDADE VACINA

Vacinação contra Covid-19 gera polêmica em Alfenas após cuidadora receber primeira dose do imunizante

Instrutora de autoescola e cuidadora em uma residência terapêutica foi imunizada, gerando polêmica depois de postagem nas redes sociais

21/01/2021 16h21 Atualizada há 4 semanas
2.003
Por: Redação 4
Cuidadora em residência terapêutica registrou momento em que recebia a vacina e postou em rede social gerando polêmica na cidade/Foto: Redes Sociais
Cuidadora em residência terapêutica registrou momento em que recebia a vacina e postou em rede social gerando polêmica na cidade/Foto: Redes Sociais

Alfenas recebeu na última terça-feira 766 doses da vacina Coronavac de um lote de 6 mil disponibilizadas pelo Estado de Minas Gerais à superintendência regional de saúde, para imunização dos grupos prioritários, conforme determinação do ministério da saúde, o que foi registrado por O Alfenense.

Delvia Lopes, por telefone, informou a reportagem de O Alfenense que trabalha há dois anos em uma residência terapêutica no período noturno, como cuidadora e, durante o dia, é instrutora em uma autoescola. Declarou que não entende que haja polêmica, já que está na lista das pessoas que devem ser vacinadas, conforme o protocolo do ministério da saúde.

Delvia publicou em uma rede social o momento em que recebeu a dose da vacina com agradecimento aos atuais gestores municipais/Foto: Redes Sociais

Deyv Cabral de Assis, secretária de saúde de Alfenas, explicou que a pessoa em questão é funcionária do município e atua como cuidadora em uma residência terapêutica no período noturno e faz parte do grupo prioritário. Todos os 37 profissionais que trabalham nas residências terapêuticas foram vacinados.

A secretária relatou que vem seguindo o protocolo de vacinação do ministério da saúde e que, prioritariamente, estão sendo imunizados com a primeira dose da vacina os profissionais de linha de frente de Covid-19 dos três hospitais da cidade, Alzira Velano, Imesa, Santa Casa, e também os profissionais do Lar São Vicente, das residências terapêuticas e os profissionais do hospital psiquiátrico do Bagé.

Devido à quantidade de doses de vacina disponibilizada, não foi possível neste momento vacinar os internos do Lar São Vicente, do Bagé e os moradores das residências terapêuticas, que serão vacinados assim que forem disponibilizadas mais doses da vacina para Alfenas, afirmou a Deyv Cabral.

A secretária informou que a vacinação com as doses recebidas será encerrada nesta quinta-feira e, após isso, a secretaria municipal de saúde disponibilizará ao ministério público um documento com os nomes de todas as pessoas vacinadas, inclusive com número de documento das que que receberam a primeira dose do imunizante, o que não é uma exigência do órgão, mas a secretária afirmou, em entrevista ao O Alfenense, que quer dar conhecimento à promotoria de todas as pessoas que foram vacinadas e, posteriormente, disponibilizará à imprensa este documento.

O Prof. Paulo Márcio de Faria e Silva, professor titular de microbiologia e imunologia do Instituto de Ciências Biomédicas da UNIFAL-MG, esclarece que, de acordo com o plano nacional de imunização, divulgado pelo ministério da saúde, o grupo prioritário para a primeira fase de vacinação inclui: trabalhadores de saúde; pessoas de 80 anos e mais; pessoas de 75 a 79 anos; pessoas de 60 anos ou mais, pessoas institucionalizadas e também indígenas.

Segundo o professor, o grande problema é que a estimativa para aplicação de duas doses da vacina, apenas nesse grupo, é de que serão necessárias quase 30 milhões de doses e, até esse momento, foram distribuídas cerca de 6 milhões de doses, ou seja, apenas 20% do necessário.

Uma vez que a quantidade de doses nesse momento é insuficiente, os estados e municípios têm definido suas prioridades que, de modo geral, incluem os profissionais de saúde que atuam diretamente junto a pacientes acometidos da Covid-19 e também os idosos institucionalizados, esclarece Paulo Márcio.

Prof. Paulo Márcio relata que, segundo os dados divulgados, a vacina Coronavac tem uma eficácia global de 50,38%. Já a vacina Oxford-Astrazeneca tem uma eficácia global de 70,4%. Convém lembrar que a Organização Mundial de Saúde considera aceitável uma eficácia mínima de 50%.

De acordo com dados públicos, o próprio governo estima que a vacinação no Brasil deve ser concluída em 16 meses, sendo quatro meses para vacinar todos os grupos prioritários e, em seguida, 12 meses para imunizar a "população em geral", afirma o professor.

Paulo Márcio ressalta que o comportamento indicado para toda a população, inclusive para quem receber a vacina, é continuar tomando todos os cuidados já recomendados desde o início da pandemia: usar máscaras, usar álcool em gel e evitar aglomerações, dentre outras.

O ministério da saúde estima que, para interromper a circulação do vírus, cerca de 60% a 70% da população brasileira precisa estar imune, enfatiza o Prof. Paulo Márcio.

 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Sobre o município
Alfenas - MG
Atualizado às 06h30 - Fonte: Climatempo
17°
Muitas nuvens

Mín. 17° Máx. 28°

17° Sensação
8.3 km/h Vento
95.3% Umidade do ar
90% (11mm) Chance de chuva
Amanhã (10/03)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 17° Máx. 29°

Sol, pancadas de chuva e trovoadas.
Quinta (11/03)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 18° Máx. 30°

Sol, pancadas de chuva e trovoadas.
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio