Terça, 02 de Março de 2021 10:26
(35) 988158840
Saúde TRATAMENTO DE PONTA

Santa Casa de Alfenas desenvolve tratamento inédito no Sul de Minas para Covid-19

Procedimento utiliza plasma para tratar a doença no seu início e já vem dando bons resultados

23/02/2021 21h00 Atualizada há 7 dias
5.697
Por: Redação 4
Equipamento utilizado para a extração do plasma convalescente é o mesmo utilizado em instituições de ponta do país/Foto: Gilson leite
Equipamento utilizado para a extração do plasma convalescente é o mesmo utilizado em instituições de ponta do país/Foto: Gilson leite

Américo Passos

A Santa Casa de Alfenas, instituição de referência no tratamento à Covid-19 na cidade e região, iniciou um procedimento que até então só era utilizado em grandes centros e por instituições de ponta como o hospital Sírio Libanês e o Albert Einstein, que é o tratamento com plasma convalescente.

A médica Mayra Cristina Soares Araújo, coordenadora do setor de Covid da Santa Casa de Alfenas, explica que o procedimento teve início há 30 dias e, até o momento, 50 pacientes receberam a infusão de plasma.

“Os resultados do tratamento com plasma convalescente ainda estão em levantamento, mas temos 60% de sucesso e isso fez com que diminuísse muito o tempo de internação do paciente e tivemos sucesso na extubação de quem fez uso do plasma. Os estudos mostram que o plasma comparado com placebo não traz nenhuma intercorrência para o paciente, que pode não se beneficiar com o tratamento, mas também não corre nenhum risco”, relata a médica.

Mayra Cristina enfatiza que o ideal é que o tratamento com plasma seja iniciado assim que o paciente for internado, quando é feita a sorologia e o IGG dá negativo. O paciente é enquadrado no protocolo e já é realizado o procedimento para a transfusão do plasma, se o paciente estiver de acordo com o tratamento e assinar um termo de autorização.

A Santa Casa é a única instituição no Sul de Minas a ter este tipo de tratamento para a Covid -19 destaca Mayra Cristina/Foto: Arquivo Pessoal

“Percebemos que, após o início do tratamento com o plasma convalescente, tivemos uma diminuição da ocupação dos leitos de UTI e clínicos. Com o início do tratamento dos pacientes precocemente, na enfermaria, evitamos que eles sigam para a UTI e assim não sobrecarrega o sistema”, explica a médica.

Mayra Cristina relata que o processo começa por meio de um cadastro de pessoas que já tiveram Covid-19 há mais de 40 dias no banco de sangue da Santa Casa e, quando surge um paciente que necessita do tratamento, a equipe do banco de sangue entra em contato com a pessoa interessada em doar, que irá até o banco de sangue, onde serão feitos todos os procedimentos de sorologia e dosagem do IGG (número de anticorpos que a pessoa tem contra Covid-19), que deve estar alto no sangue.

Os critérios são os mesmos da doação de sangue, observando que a transfusão de plasma só pode ser feita com o tipo sanguíneo exato do paciente. O plasma, ao ser retirado, é pesado e deve ser usado para transfusão no máximo em 24 horas e cada doador doa 02 bolsas de plasma, o que vai favorecer 02 pacientes, explica a coordenadora do setor de Covid da Santa Casa.

Mayra Cristina explica que a coleta do plasma convalescente é feita por meio de aférese, um procedimento no qual a separação de componentes do sangue é feita por centrifugação, por meio de um equipamento automatizado. O sangue do doador é captado por uma máquina que separa apenas o plasma na bolsa de coleta e devolve o sangue de volta ao organismo.

“É um privilégio termos este equipamento à disposição no banco de sangue da Santa Casa, que é o mesmo equipamento utilizado para fazer plasmaférese no tratamento de outras patologias. Poucos locais têm disponibilidade deste equipamento e Alfenas se beneficia e está um passo a frente no tratamento da Covid-19”, enfatiza a médica.

Mayra Cristina esclarece que é um tratamento de custo elevado e que, em grandes centros, não estão tendo oportunidade de usá-lo precocemente, como está sendo feito na Santa Casa, mas a equipe do banco de sangue, que tem à frente o farmacêutico bioquímico Flammarion Landre Diogo, e a Secretaria de Saúde de Alfenas abraçaram a causa e apoiaram nossa indicação para fazermos o tratamento com plasma convalescente.

“Estamos abertos para fazer parceria com outros serviços e disponibilizar o tratamento para mais pessoas. Isso é tratamento de ponta, que muitos locais não têm a oportunidade de fazer”, enfatiza a médica Mayra Cristina.

Tatiane da Silva Lima Damasceno, enfermeira do banco de sangue da Santa Casa, relata que é emocionante poder estar ajudando as pessoas com este procedimento que fornece o plasma convalescente a quem necessita e ver os resultados que estão sendo obtidos.

Tatiane da Silva relata que o procedimento para a doação do plasma é o mesmo da doação de sangue/Foto: Gilson Leite

Pedro Henrique, acadêmico de medicina e doador de plasma convalescente, relata que se sente honrado em poder contribuir para que muitas pessoas possam se tratar e curarem-se da doença e que é muito importante que a cidade seja polo em saúde na região, podendo proporcionar este tipo de tratamento.

Aécio Lourenço de Assis, diretor administrativo da Santa Casa, esclarece que a demanda para a realização do tratamento utilizando o plasma convalescente surgiu da equipe médica, formada pelos médicos Carlos Velano e Mayra Cristina, e que prontamente foi atendida por meio da estrutura do banco de sangue, que possui o equipamento e a instituição está financiando o tratamento dos pacientes com Covid-19.

Aécio destaca que o comprometimento da direção e do corpo clínico resulta nos serviços de excelência disponibilizados pela Sata Casa a população/Foto: Gilson Leite

“É extremamente importante podermos proporcionar este procedimento aqui na Santa Casa pela sua contemporaneidade. Nós estamos fazendo aqui com nossa estrutura e equipamentos próprios devido ao investimento contínuo que a administração da instituição vem fazendo”, ressalta Aécio.

Aécio enfatiza que continuamente a Santa Casa está investindo na modernização de sua estrutura e na aquisição de novos equipamentos e que o comprometimento do corpo clínico e dos diretores do hospital converge para o atendimento dos pacientes. “Desta forma, conseguimos transformar o hospital nesta excelente estrutura que temos e podemos oferecer serviços de saúde da mais alta qualidade pelo SUS, entre eles o de oncologia e de hemodiálise à população de Alfenas e região e, agora, o tratamento com plasma convalescente para Covid-19”.

Confira a reportagem em vídeo sobre o tratamento de pacientes com Covi-19 com plasma convalescente:

11 comentários
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.